sábado, 25 de junho de 2016

Caminho Português de Santiago: Lisboa-Santiago de Compostela - Epílogo

Regressei a Portugal no dia seguinte no comboio celta até ao Porto. Depois novamente de comboio inter-cidades até Caxarias. Sempre com a bicicleta inteira, sem ser preciso desmontar nada. Finalmente pedalei mais 85 km até casa.

Quanto às escolhas de Caminho que fiz revelaram-se uma boa escolha, tendo ficado muito satisfeito tanto com o Caminho da Costa quanto com a Variante Espiritual.

Para memória futura ficam os álbuns de fotos:


Caminho Central a Santiago (Lisboa-Porto):
Caminho Central a Santiago (Lisboa-Porto)

Caminho Português da Costa + Variante Espiritual:
Caminho Português da Costa + Variante Espiritual

O track que resultou da Variante Espiritual foi este:


Powered by Wikiloc

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Variante Espiritual / Caminho Português - Dia 10

Armenteira - Santiago de Compostela
Distância percorrida: 84,2 km


À saída do albergue sigo imediatamente pela Ruta da Pedra e da Auga que acompanha o rio Armenteira pelas suas margens. Esta é uma belíssima rota de natureza que só por si merece uma visita.


O rio Armenteira vai desaguar no rio Umia e também ao longo deste último existe uma rota pedestre muito linda.


A Variante Espiritual continua o seu caminho para oeste e aproxima-se de Vilanova de Arousa. Aqui segui a indicação de setas para o albergue sem o saber. Descoberto o engano, voltei ao traçado correcto.

Vilanova de Arousa
Neste local há que optar entre seguir de lancha pelo rio Ulla até Pontecesures (custo de 19€) ou seguir por via terrestre pela margem direita do rio. Foi esta última opção que tomei. O percurso encontra-se sinalizado com setas.

Rio Ulla
Nesta altura segui por uma série de passadiços numa zona de grande beleza natural.


Nas margens do rio há uma via sacra marítimo-fluvial, única no mundo, segundo li.


Em Pontecesures terminava esta Variante Espiritual e de novo encontrava o Caminho Central que não mais largaria até chegar a Santiago de Compostela.
Pouco tempo depois chegava a Padrón, local onde já tinha ficado hospedado em tempos idos. Nas imediações desta cidade havia um desvio provisional devido a obras na estrada. Lanchei um bocadillo no bar "O Descanso" para ganhar forças para o que faltava.
A cerca de 15 km para Santiago passei a ser o único peregrino. A hora já era adiantada e os peregrinos a pé já tinham acabado a jornada.
Constatei que havia uns marcos de aspecto recente e que diferiam dos tracks que levava. Cheguei à Catedral de Santiago cerca das 19H. 


Depois das fotos da praxe, dirigi-me à Oficina do Peregrino para receber a Compostela. Havia um aviso a informar que as instalações tinham mudado de sítio. Segui as indicações do mapa e lá fui obter o documento.
Nesta última noite fiquei alojado no albergue de Monte do Gozo.





quinta-feira, 23 de junho de 2016

Caminho da Costa / Variante Espiritual - Dia 9

O Freixo (Vigo) - Armenteira
Distância percorrida: 64,2 km

Quando saí do albergue retomei as setas verdes para ir ao encontro das setas amarelas do Caminho da Costa. O percurso tem troços comuns com a Senda del Agua de Vigo e é panorâmico com vistas sobre a ria de Vigo.

Ria de Vigo
Em Redondela terminava o Caminho da Costa propriamente dito, voltando a encontrar o Caminho Central. Daqui até Pontevedra voltei a cruzar-me com muitos peregrinos, mostrando-me que o Caminho Português é uma das principais vias de peregrinação a Santiago de Compostela.

Iglesia de La Peregrina, Pontevedra
Cerca de 5 km depois de Pontevedra segui a Variante Espiritual do Caminho Português como planeado. Foi uma viragem à esquerda para a região do Salnés.



Esta variante está muito bem sinalizada e tém até umas placas próprias em madeira.
Em Poio houve oportunidade de apreciar o seu bonito mosteiro.

Mosteiro de Poio
Na zona de Combarro vai-se até junto da ria de Pontevedra. O percurso é magnífico.


Depois encetei uma longa e difícil subida até cerca de 400m de altitude pelo meio de bosques e estradas florestais. Uma zona de muita e bela natureza. Não resisti a pazer uma paragem para apreciar a vista desde o miradouro do Loureiro.


A parte final da etapa deste dia foi a descer para Armenteira. Fiquei alojado no albergue pertença do mosteiro desta localidade. Éramos 4 peregrinos neste dia e comemorava-se o São João (San Xoán como dizem em Espanha). Havia festa na aldeia e à noite realizou-se um mega churrasco no largo anexo ao local do albergue.


Fomos convidados a participar. Comeu e bebeu-se muito bem, não faltando nada para saciar o apetite destes prezados peregrinos. Como não há bela sem senão houve música até às 5H da manhã resultando numa noite quase em claro.




quarta-feira, 22 de junho de 2016

Caminho da Costa - Dia 8

Caminha - O Freixo (Vigo)
Distância percorrida: 80,8 km

Comecei o dia dirigindo-me para o porto do ferry com a intenção de apanhá-lo para passar o rio Minho e chegar a La Guarda, cidade espanhola. Na bilheteira estava afixado um aviso a informar que o 1º barco seria às 14H45. Segundo apurei, tal devia-se à maré estar baixa.
Era muito tempo e não estava com vontade de esperar tanto. A alternativa era seguir para este até Vila Nova de Cerveira e atravessar a ponte e depois voltar para oeste até La Guarda. Tinha a vantagem de estar com uma bicicleta. Eram 25 km em terreno relativamente plano e não me levariam mais de 2 horas. A outra alternativa era pagar a uma lancha-taxi pelo transporte e isso não me interessava.
Assim, fiz-me à estrada pela N13 rumo a Vila Nova de Cerveira. 

Sobre o rio Minho
Nesta vila segui pelo centro histórico e parei no turismo para carimbar a credencial de peregrino.
A seguir a La Guarda pedalei por várias ciclovias costeiras de grande beleza.


Durante a parte da tarde, em algumas zonas encontrei duas sinalizações possíveis, optando por seguir a que diferia do track.


Antes de chegar a Vigo pude avistar as bonitas Islas Cies, que formam um parque natural e se situam na ria de Vigo.

Islas Cies
Também nesta zona optei por seguir uma rota alternativa devidamente sinalizada com setas verdes e que me levaria até ao albergue "O Freixo".


Ao que apurei, em Vigo não há albergue municipal e foi a Asociación de Veciños "O Freixo" que criou um albergue/refúgio de apenas 4 camas para acolher os peregrinos.
O caminho para lá chegar foi difícil, sendo muito à base de trilhos florestais. O jantar foi no bar desta associação que fica no piso térreo.






terça-feira, 21 de junho de 2016

Caminho da Costa - Dia 7

Póvoa de Varzim - Caminha
Distância percorrida: 75,1 km

Saí do albergue na Póvoa de Varzim e de imediato me dirigi ao Caminho. Alguns kms depois parava para tomar o pequeno-almoço num café de uma aldeia costeira.
Carimbei no turismo de Esposende, de onde também levei um folheto sobre o Caminho neste concelho.
Pouco depois passaria por uma opção de alojamento: o albergue de S. Miguel de Marinhas.

Albergue de Marinhas
Antes de chegar a Guilheta passei por um trilho entre vegetação luxuriante e com o rio Neiva à direita.


Foi neste local que alcancei um casal estrangeiro de bicigrinos. Estavam de paragem, em contemplação do local. Continuei até à aldeia de Santiago, onde entrei na igreja de Neiva, dedicada a S. Tiago Maior.

Igreja de Castelo do Neiva
Carimbei a credencial no interior do templo. Daqui as vistas para a serra d´Arga e o oceano eram fantásticas. Valeu a pena a subida ingreme para cá chegar.


Almocei num restaurante antes de passar a ponte sobre o rio Lima. Em Viana do Castelo fui ao turismo carimbar a credencial.

Rio Lima
O troço do Caminho pelo concelho de Viana não é muito bike-friendly pelo que se tornava necessário desmontar e levar a bike à mão em certas zonas. A tarde foi quase toda por trilhos de montanha com muita pedra saliente no chão.


Por volta das 17H15 chegava a Vila Praia de Âncora, depois de atravessar o rio Âncora.

Vila Praia de Âncora no horizonte
A seguir a Vila Praia de Âncora entrei novamente numa ciclovia que me levou até ao meu destino para hoje: Caminha.


Fiquei alojado no albergue de Caminha, aonde cheguei depois de ter atravessado em linha recta toda a vila, até chegar ao rio Minho. Do outro lado já se avistavam terras da Galiza e sobressaía o monte de Santa Tecla.


Segundo o hospitaleiro do albergue era o primeiro peregrino português a ficar ali desde à 5 dias. Era muito raro este Caminho ser percorrido por portugueses, sendo antes uma opção para os estrangeiros.






segunda-feira, 20 de junho de 2016

Caminho Português de Santiago / Caminho da Costa - Dia 6

São João da Madeira - Póvoa de Varzim
Distância Percorrida: 75,6 km

Desde S.J. da Madeira até Grijó andei quase exclusivamente por áreas urbanas. Depois passei a andar por áreas de bosque e estradas Romanas.

Calçada Romana
Em Vila Nova de Gaia houve um desvio alternativo devido a obras numa estrada. A sinalização era boa e não deixava margem a dúvidas. A passagem por Gaia foi feita pelas vias principais da cidade. A chegada ao rio douro e à cidade do Porto estava cada vez mais eminente. Aconteceu às 11H45. A travessia do rio foi pela ponte D. Luis I.

Porto e rio Douro
Na passagem pela Sé do Porto aproveitei para carimbar a credencial. O mesmo aconteceu perto dali no Turismo do Porto.

Sé do Porto
Este é o local de partida de muitos peregrinos de Santiago e também já foi o meu no passado. Mas em vez de seguir diretamente para Norte pelo Caminho Central, o plano agora era fazer o Caminho da Costa. Para isso tencionava apanhar a orla marítima o mais cedo possível. Por isso desci pelas ruas estreitas e escadarias rumo à ribeira do Porto.
Segui junto ao mar e comecei a apanhar vento de frente, o que não facilitava a minha progressão (apesar de usar casaco corta-vento).

Perto de Leça da Palmeira
Em Matosinhos carimbei no posto de turismo local que se encontra junto à praia.
Durante a tarde tive  a oportunidade de passar por alguns passadiços que se encontram sobre as dunas. E por mais passaria caso fosse a pé. É que alguns destes passadiços são interditos a bicicletas.


À passagem por Vila do Conde fui ao posto de turismo carimbar a credencial (fica junto à costa, não houve necessidade de desvios).

Em Vila do Conde
Fui informado que também aqui havia um albergue municipal, aberto 3 meses antes, o que desconhecia. Como ainda tinha várias horas de dia e não tencionava ficar por aqui, decidi continuar até ao próximo porto de abrigo (leia-se albergue).


E não tive de pedalar muito, pois a Póvoa de Varzim foi o términus para este dia. Fiquei alojado no albergue de São José de Ribamar (pertença dos Escuteiros).
O forte vento nas zonas costeiras foi a principal dificuldade deste dia. Em termos de terreno, a passagem por praias, passadiços e ciclovias do litoral foi uma novidade a nivel de Caminhos de Santiago. Não me queixo. Sabe bem variar e até agora o Caminho da Costa estava a ser do meu inteiro agrado.



domingo, 19 de junho de 2016

Caminho Português de Santiago - Dia 5

Mealhada - São João da Madeira
Distância percorrida: 68 km

Era Domingo. O comércio estava quase todo encerrado. Foi em Aguada de Baixo que tomei a primeira refeição do dia, num café.
O percurso era maioritariamente por estrada, mas em zonas rurais, o que era do meu agrado.


A chegada a Águeda deu-se por volta das 10H15. Depois de passar o rio com o mesmo nome dirigi-me ao posto de turismo que fica logo após a ponte do lado esquerdo. Carimbei a minha credencial e trouxe um folheto sobre o Caminho de Santiago do Caramulo e Vale do Vouga. Este Caminho começa em Viseu e vem entroncar no Caminho Central em Albergaria-a-Velha, percorrendo 7 municípios.

Rio Águeda
Almocei num restaurante em Albergaria-a-Velha onde estavam também outros peregrinos.
Durante a tarde à passagem por Oliveira de Azeméis assisti ao Memorial Bruno Neves (ciclismo de estrada) e depois continuei até São João da Madeira, onde viria a terminar o dia.


Fiquei alojado na Santa Casa da Misericórdia de São João da Madeira.